A fasceite planatar é uma doença que acomete a regiao plantar do pé gerando muita dor na região do calcanhar, sendo que 11% a 15% dos sintomas necessitam de tratamento(1).Um dos sinais clínicos clássicos é a dor após acordar pela manhã, ou depois do repouso(2).

O tratamento para a fasceite plantar, envolve alongamentos, crioterapia, injeção com esteroides, ondas de choque e em alguns casos , cirurgia.(3).

A terapia utilizando as ondas de choque pode ser uma alternativa no tratamento da fasceite plantar, mas o mecanismo de redução da dor não são claros. Contudo, alguns estudos descrevem que as ondas de choque podem destruir as fibras sensitivas amieliniccas , estimular a neovascularização e síntese de colágeno nos tecidos degenerados .(4)

Em uma meta analise de ensaios clínicos randomizados, foi sugerido que a terapia focal de ondas de choque pode diminuir a dor crônica mas mais estudos devem ser realizados para confirmar o benefício.(5)

Outro estudo retrospectivo, descreve que as ondas de choque reduzem a dor significativamente em três sessões , três vezes por semana perdurando por 3 e 6 meses. Como parâmetros, foram usados 2000 pulsos por sessão , intesnidade de energia media de 0.45 mj/mm2, frequência média de 8MHz e media de profundidade de 15mm. (6)

A hipótese deste estudo é que o tratamento por ondas de choque focal, pode apresentar uma melhora significativa na dor devido a fasceite plantar. Sendo assim, este estudo tem como objetivo verificar os reais efeitos analgésicos em pacientes portadores de fasceite plantar.

Terapia por Ondas de Choque

Para o tratamento fisioterapêutico da fasceita plantar podemos destacar a eletroterapia, técnicas de terapia manual, exercícios específicos, entre outros recursos. Porém, o que vem se destacando atualmente na prática clínica é o uso da terapia por ondas de choque extracorpórea (TOC).

A onda de choque é uma onda sônica que se propaga rapidamente em um determinado meio (no caso, tecidos biológicos) e pode ser caracterizada como um impulso mecânico com alta energia (pressão de pico elevada), rápido aumento de pressão e curta duração. Este gradiente de pressão muito rápido e de alta frequência causa nos tecidos um fenômeno denominado cavitação, no qual são geradas microbolhas. (8)

Os primeiros experimentos com esta tecnologia na área musculoesquelética partiram da ideia de que uma energia aplicada de forma extracorpórea poderia causar um estímulo mecânico e este desencadearia reações fisiológicas – a partir da eclosão destas microbolhas – como liberação de fatores de regeneração tecidual e neovascularização. As ações das ondas de choque no processo inflamatório/degenerativo se devem a liberação de óxido nítrico, alteração da permeabilidade das membranas celulares, aumento local de prostaglandinas (fatores de regeneração), neoangiogênese e analgesia por estimulação local. Na prática clínica se observa, com frequência, uma melhora da sensação de dor logo após a aplicação da terapia de ondas de choque, provavelmente pelo estímulo tátil nas terminações nervosas locais. A maioria dos pacientes relata uma progressiva melhora da dor e da mobilidade articular. Essa melhora pode ser explicada pelo relaxamento do espasmo da musculatura e incremento da microcirculação local, decorrente de todo processo fisiológico. Esse mecanismo promove um aumento do aporte de nutrientes no tecido e proporciona a diminuição das áreas de isquemia o que possibilita a cura. (7,9)

 

(1). Rompe JD. Plantar fasciopathy. Sports Med Arthrosc 2009;17:100–4.

[2]. Lemont H, Ammirati KM, Usen N. Plantar fasciitis: a degenerative process (fasciosis) without inflammation. J Am Podiatr Med Assoc 2003;93:234–7.

(3)Lim AT, How CH, Tan B. Management of plantar fasciitis in the outpatient setting. Singapore Med J 2016;57:168–70. quiz 171.

(4) Hsu RW, Hsu WH, Tai CL, et al. Effect of shock-wave therapy on patellar tendinopathy in a rabbit model. J Orthop Res 2004;22:221–7.

(5) APA Sun, Jiale MD; Gao, Fuqiang MD; Wang, Yanhua MD; Sun, Wei MD; Jiang, Baoguo MD; Li, Zirong MD Extracorporeal shock wave therapy is effective in treating chronic plantar fasciitis, Medicine: April 2017 – Volume 96 – Issue 15 – p e6621doi: 10.1097/MD.0000000000006621

(6)Vaamonde-Lorenzo L, Cuenca-González C, Monleón-Llorente L, et al. Piezoelectric focal waves application in the treatment of plantar fascitis. Aplicación de ondas de choque focales piezoeléctricas en el tratamiento de la fascitis plantar. Rev Esp Cir Ortop Traumatol. 2019;63(3):227-232. doi:10.1016/j.recot.2018.09.00

(7)Silva RMV. Efeitos da Terapia por Ondas de Choque Radial na dor miofascial: ensaio clínico, randomizado e cego. Natal/RN (2018)

(8)Duque AS. Efeitos da Terapia por Ondas de Choque na mecânica ventricular avaliadapela técnica de speckle tracking em pacientes com angina refratária. USP. São Paulo/SP. 2017.

(9)Ketzman P, Lenza M, Pedrinelli A, Ejnisman B. Tratamento por Ondas de Choque nas doenças musculoesqueléticas e consolidações ósseas – análisenquantitativa da literatura. Rev. Bras. Orto. 2015, 50(1):3-8

 

Madalena Giordani Suleiman
CREFITO 10/39262-F